• Sandra Sisla

Toda mulher tem o corpo perfeito e tem o potencial para parir

Atualizado: Jan 28

Um olhar sincero para a fisiologia do corpo humano, toda mulher deveria reconhecer a potencialidade inata da capacidade de parir por si mesma.


Michel Oden em seus ensaios afirma que a mulher em trabalho de parto não precisa de nenhum recurso para parir; nem banheira, nem bola, nem rebozzo, apenas respeitar a fisiologia da cascata hormonal que descortina as etapas do processo de parir, respeitando principalmente a diminuição das atividades do sistema neuro sensorial para que a mulher esteja com seu cérebro mais primitivo, instintivo aflorado.


O corpo da mulher é perfeito; seu ventre se distende para abrigar um bebe, sua circulação se ajusta com quase o dobro de sangue que o normal, sua orquestra hormonal toca silenciosamente a sinfonia mais perfeita, o útero reage lentamente em ondas e dá sua pausa necessária, o colo se dilata, o bebe faz sua parte girando em espiral para despontar pelo períneo que se distende abrindo espaço para a passagem.


A mulher tem tudo o que precisa e deve acreditar que ela é capaz de trazer seu bebe pelo seu corpo.


A conexão com seu próprio corpo e processos tem a ver com a capacidade da entrega da mulher para este estado de desapego do controle. Deixar o processo acontecer e reconhecer os sinais do corpo para poder se guiar.


Alguns recursos da fisioterapia podem ser uteis para que a mulher saiba sobre si mesma e são propostas facilitadoras como os movimentos pélvicos, a liberação das fáscias, a percepção dos músculos do períneo para principalmente relaxa-los, a percepção da respiração como a principal conexão com o corpo e sustentação do processo.


Saber sobre seu corpo pode diminuir a ansiedade e permitir que a mulher acesse repertórios de possibilidades de movimento, respiração e posições criando condições facilitadoras do processo durante o trabalho de parto



9 visualizações

© 2018 Criado por Kalinka Araneda